domingo, 13 de julho de 2014

Brasil e Holanda na POESIA


BRASIL
Consolo na praia (Carlos Drummond de Andrade)


Vamos, não chores.
A infância está perdida.
A mocidade está perdida.
Mas a vida não se perdeu.

O primeiro amor passou.
O segundo amor passou.
O terceiro amor passou.
Mas o coração continua.

Perdeste o melhor amigo.
Não tentaste qualquer viagem.
Não possuis carro, navio, terra.
Mas tens um cão.

Algumas palavras duras,
em voz mansa, te golpearam.
Nunca, nunca cicatrizam.
Mas, e o humour?

A injustiça não se resolve.
À sombra do mundo errado
murmuraste um protesto tímido.
Mas virão outros.

Tudo somado, devias
precipitar-te, de vez, nas águas.
Estás nu na areia, no vento...
Dorme, meu filho.





O poema ilustrado pode ser visto aqui: https://www.facebook.com/caminhaodemudanca/media_set?set=a.279944812064555.66585.100001471158514&type=3


***



HOLANDA
HOMENAJE A GERARD DIELS (Riekus Waskowsky)


Un poeta borracho abraza la luna en
el agua - hasta que llega la muerte,
la muerte de la luna en el agua.

El poeta sigue vivo y después de miles
de años sólo parece haber cambiado el gusto.

Quiero decir: Li Tai Po bebía vino, Dylan
Thomas whisky, Gerard Diels ginebra.



Tradução: Ricardo Cuadros

2 comentários:

Julie Richards disse...

I LIKE YOUR POETRY. THANKS FOR SHARING

Jeanine Will disse...

Dear Julie,

Thank you so much for visiting my blog.
Cheers,
Jeanine.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...