segunda-feira, 1 de junho de 2009

jamais ter pisado a relva do Éden
e saber que há tantas maçãs
que me impedem
põe os pés pesados...
(inédito, 28052008 & 14072008)

¯ - Blur - to the end

8 comentários:

Diego Gonçalves Amaral disse...

Pensei uma bobagem sem tamanho: tipo, o chão coberto por maçãs e as pessoas "andando - tropeçando - caindo"!

Mas afinal as maçãs que impedem de andar são as mesmas que te fazem cair, a tentação do pecar provém da gana de subverter, talvez isso não seja nada além de aliviar os pés e andar caindo sobre as maçãs... [viajei!]

bj

estou no Twitter/TriBuenas aparece, é a sua cara!

abs

Wellington Felix disse...

que seria a vida sem seus doces pecados digo maçãs, disse um poeta amigo, que tropeçava num verbo desconhecido, enternecer, então desejo que tropeces em maças para quem sabe enternecer...

Anônimo disse...

o importante é essa esperança, pecando a gente chega lá?

Anônimo disse...

aos poetas e loucos reservo
o perdão;


ass. O divino em mim

Jeanine Will disse...

Diego,
seria bem mais divertida essa cena que você imaginou: pessoas tropeçando nas maçãs e rolando. Já imaginou uma chuva de galas, goldens, fujis. Seria dolorido, é verdade, mas muito engraçado.
=D
Mas as maçãs impeditivas são sempre as mesmas.
=(
Beijo!

Jeanine Will disse...

Wellington,
em tropeço e ternura, só aliteração.
=|

Jeanine Will disse...

Que esperança é "essa" falada?
Se existe, passou por mim sem ser notada. Ops, uma rima...

Jeanine Will disse...

Ainda bem que há os divinos.
=D

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...